Como funciona uma clínica de recuperação para dependentes químicos?

clínica de recuperação para dependentes químicos

Diversas famílias com problemas relacionados às drogas costumam se perguntar como é o tratamento em uma clínica de recuperação para dependentes químicos.

Não faz muito tempo que a dependência química é dada como uma doença.

Foi a partir do ano de 2001 que a OMS (Organização Mundial da Saúde) a definiu como transtornos mentais e comportamentais devidos ao uso de múltiplas drogas e ao uso de outras substâncias psicoativas.

Antes, a dependência química era vista apenas como desvio de caráter ou consequência de algum problema psiquiátrico.

Ainda hoje, por falta de informação, muitos pensam assim. Mas as coisas estão melhorando aos poucos.

Tanto é que o número de internações nas clínicas de recuperação tem aumentado, mesmo que timidamente.

Isso têm um lado bom e um lado ruim. Ruim porque sabemos que se há mais internações, é sinal que há mais dependentes químicos.

Mas o lado bom é que mais pessoas estão procurando por ajuda.

O número de dependentes químicos que procura ajuda ainda é baixo, mas vem crescendo aos poucos.

Graças ao modo como a dependência química é vista pela medicina. E pelo acesso à informação que facilmente pode chegar aos dependentes químicos e seus familiares.

Quando o dependente químico tem consciência de que está doente e precisa iniciar os tratamentos, as coisas tendem a serem mais fáceis. Tanto o processo de internação, quanto a reabilitação.

Mas nem sempre isso é possível. Quando o paciente não aceita o tratamento, a família pode autorizar. Essa é a chamada internação involuntária.

Quais são os tipos de tratamento em uma clínica de recuperação para dependentes químico?

Os tipos de tratamentos realizados em uma clínica de recuperação para dependentes químicos podem variar de um estabelecimento para o outro.

Mas em geral, são 3: tratamento interno, tratamento externo e tratamento de internação parcial.

No tratamento interno o paciente fica internado por período integral na clínica de reabilitação e recebe cuidado e orientações médicas, psicológicas e sociais, participando de atividades terapêuticas e recreativas, tanto em grupo, quanto individualmente.

A clínica se torna sua casa pelo período necessário para sua recuperação.

Esse tempo depende de cada indivíduo. Alguns podem passar 30 dias internados e outros 6 meses ou mais.

Já no tratamento externo o dependente químico não fica internado. Ele visita a clínica para participar de sessões terapêuticas e de grupos de apoios.

Por fim, o tratamento de internação parcial é uma combinação entre o tratamento interno e o tratamento externo.

Nele, o paciente recebe atendimento na clínica de recuperação para dependentes químicos durante o dia e vai para casa durante a noite.

O tratamento recebido pelo paciente do tratamento de internação parcial é praticamente o mesmo que os pacientes internos recebem. Ou seja, cuidados médicos, psicológicos e atividades sociais.

O tipo de tratamento escolhido para cada paciente é definido pela equipe médica após a triagem que envolve exames médicos e entrevista com o paciente.

Em casos onde a internação é involuntária, sem o consentimento do paciente, o tratamento interno é recomendado em quase 100% das situações.

Se você precisa de ajuda para combater a dependência química e quer saber mais detalhes de como é o tratamento em uma clínica de recuperação para dependentes químicos, entre em contato com o Grupo Braços Abertos. Estamos à sua disposição!