Codependente químico: saiba o que é

Codependente químico

É quase certo que você saiba, ou pelo menos tenha uma noção, mesmo que seja vaga, do que é um dependente químico. Mas e um codependente químico, você sabe do que se trata? Continue lendo para descobrir!

Digamos que o nome codependente químico seja, no mínimo, um pouco sugestivo. Codependente. Codependência. Esse “co”, estas duas letras antes da palavra, é comum em outras situações. Trata-se de uma contração

O dicionário define a contração “co” da seguinte maneira: Forma abreviada do prefixo com-, usada para formar novos vocábulos ao se aglutinar com o elemento inicial da próxima palavra, tem o sentido de junção, união, companhia, força.

Talvez você já tenha ouvido falar sobre coautor, copiloto, coprodução. Um copiloto ajuda o piloto a conduzir uma aeronave, por exemplo. Um coautor de um livro, ajudou o autor a escrevê-lo. Um coprodutor de um filme, ajudou na produção de um filme, trabalhou juntamente com o produtor principal.

Mas e o codependente químico? Usou drogas com o dependente químico ou o ajudou nessa prática de alguma forma? Não. Não é bem assim. Vamos esclarecer logo mais. Primeiro precisamos entender o que é a codependência

O que é a codependência?

A codependência é um transtorno emocional que foi identificada pela primeira vez entre os anos 1970 e 1980 em famílias que possuíam dependentes químicos.

Atualmente a codependência é estendida a qualquer quadro de dependência ou transtornos graves de personalidade e de conduta.

Quem é o codependente químico?

A característica principal consiste na “atadura emocional”. Ou seja, a pessoa se auto correlaciona com a doença do outro, tendo uma extrema dificuldade em colocar limites para o comportamento problemático do dependente químico.

Por exemplo, a esposa que tolera, incansavelmente, todas as consequências decorrentes do alcoolismo do marido, como perda do emprego, agressividade, irresponsabilidades, etc.

Ou a pessoa que suporta qualquer tipo de abuso do cônjuge por medo das chantagens emocionais feitas por ele, como por exemplo, a separação.

Os codependentes são, na maior parte dos casos, pais ou cônjuges que vivem em função da pessoa dependente, assumindo e responsabilizando-se por todos os comportamentos desta e preocupando-se excessivamente por seu bem estar.

O codependente químico não percebe que cuidando excessivamente do outro, ocorre um processo de autoanulação. Seus objetivos e necessidades acabam sendo esquecidos por ele mesmo. Em poucas palavras, a pessoa dependente da dependência do outro.

As consequências da codependência química

Essa atitude traz muitos malefícios. À medida que a o codependente químico abandona suas necessidades e objetivos ao longo da vida, ele entra num processo de abandono de si mesmo e de autodestruição.

Como esse padrão ocorre a longo prazo (geralmente anos), resulta em muitas perdas.

Perda do tempo que deveria ter sido investido em si mesmo, em seu lazer, em projetos pessoais, perda de relações que poderiam ter sido saudáveis, perda esperança em resolver o problema do outro.

Isso tudo pode desencadear alguns danos para a saúde da pessoa, seja no aspecto físico através de doenças psicossomáticas ou no campo psicológico.

Normalmente os codependentes apresentam quadros depressivos ou ansiosos acentuados.

O Grupo Braços Abertos se preocupa tanto com o dependente químico quanto com o codependente químico. Por isso, em nossas unidades contamos com uma equipe terapêutica que tem o objetivo de ajudar tanto um quanto o outro.

Se você sofre com a dependência química, sendo dependente ou codependente químico, entre em contato conosco. Será uma grande satisfação para nós podermos ajudar!