Cocaína dá depressão: tudo o que você precisa saber neste GUIA

Cocaína dá depressão

Você dá um tiro, outro e mais outro. Aquela sensação de bem-estar, de prazer intenso e de poder vem à tona. Você é o cara mais poderoso do mundo, até o dinheiro acabar e você não ter mais como usar.

A deprê bate e o mal estar vem. Ligeiramente você se sente um lixo, um incopentente, uma pessoa que não terá futuro onde todas as suas expectativas de vida se esvaem.

Mas, por que isso ocorre? Será mesmo que a cocaína dá depressão? Ou a depressão bate por conta do uso da droga?

Se você é usuário, parente ou amigo de quem usa, essa matéria é para você! Vamos entender o porque a coca dá uma sensação de depressão depois que a brisa passa. Além do mais, vamos falar sobre dependência, processos químicos e muitos mais. 

Sai dessa brisa e cai na real com essa matéria importante para começar a ter mais saúde mental.

Por que cocaína dá depressão?

Antes de entendermos o porque a cocaína dá depressão precisamos entender o que é a depressão e porque ela está associada a droga.

Sendo assim, depressão é um transtorno de humor caracterizado por sentimentos persistentes de tristeza, desesperança e perda de interesse em atividades diárias. 

Podendo afetar significativamente o comportamento, pensamentos e bem-estar geral de uma pessoa, levando a problemas emocionais e físicos. 

Além do mais, a depressão vai além de uma simples tristeza, impactando profundamente a qualidade de vida e requerendo, muitas vezes, tratamento profissional.

Em conjunto a cocaína é uma droga, afeta determinadas áreas do cérebro como o córtex pré-frontal, relacionadas à área do prazer e sistema de recompensa. Ou seja, enquanto há efeito da droga há uma forte liberação desses hormônios.

Por outro lado, esse efeito é temporário e, quando a droga é metabolizada e seus efeitos desaparecem, os níveis de dopamina caem abruptamente, levando a um estado de baixa energia e depressão, muitas vezes referido como “ressaca” da cocaína ou depressão.

O ciclo vicioso da cocaína e depressão

Quanto mais uma pessoa faz o uso da cocaína, o cérebro começa a se adaptar à presença constante da droga, reduzindo naturalmente a produção de dopamina e tornando-se cada vez mais viciado na droga.

É como se o corpo esperasse que a droga diariamente para chegar naqueles níveis extremos de prazer, adrenalina e euforia. Criando um ciclo de dependência. Ao mesmo tempo que o cérebro associa o prazer à droga,  também associa o mal estar e depressão à abstinência. 

Sintomas de abstinência: depressão profunda e riscos associados

Durante a abstinência de cocaína, os usuários frequentemente experimentam sintomas depressivos severos, como falta de motivação, tristeza profunda, fadiga e, em casos graves, pensamentos suicidas.

  • Ansiedade;
  • Fadiga;
  • Humor deprimido;
  • Irritabilidade;
  • Aumento do apetite;
  • Insônia ou sono excessivo;
  • Desejo intenso pela droga (fissura);
  • Dificuldade de concentração;
  • Sentimentos de desesperança;
  • Agitação ou inquietação;

Leia também: Como se livrar da cocaína de maneira prática e rápida

Estudos e pesquisas: entendendo a ligação entre cocaína e depressão

Saber que cocaína da depressão é importante para ter noção do que ocorre com alguém que cheira ou faz o uso do pó. Ao mesmo tempo,  há estudos sobre a relação entre o uso de cocaína e depressão revelam que a cocaína pode causar alterações significativas no cérebro, contribuindo para a depressão. 

Assim, a cocaína interage com o sistema mesolímbico de dopamina, o “sistema de recompensa” do cérebro, aumentando a liberação de dopamina e bloqueando seu processo normal de recaptação. 

Dessa forma, esse aumento leva a uma intensa sensação de euforia e alerta. No entanto, quando os efeitos da cocaína desaparecem, a dopamina extra também diminui, contribuindo para a abstinência aguda, que pode incluir sintomas depressivos como mau humor, fadiga e falta de motivação. 

Como citamos anteriormente, com o uso repetido a longo prazo, o cérebro se adapta ao excesso frequente de dopamina, diminuindo sua produção e o número de receptores, o que pode levar a complicações como depressão e outros problemas de saúde mental​.

Descubra já: Quem cheira pó brocha? Causas e efeitos para você não usar mais

Prevenção e tratamento: lidando com a dependência de cocaína e depressão

A prevenção e o tratamento da dependência de cocaína e depressão são cruciais para a recuperação e o bem-estar a longo prazo. 

O tratamento muitas vezes envolve uma abordagem multidisciplinar, incluindo terapia comportamental, apoio de grupos de recuperação e, em alguns casos, medicação. 

A prevenção, por outro lado, foca na educação e conscientização sobre os riscos do uso de drogas, além de promover ambientes e relacionamentos saudáveis que suportem escolhas de vida positivas. 

Abordar ambos, a dependência e a saúde mental concomitante, é essencial para um tratamento eficaz e uma recuperação 

Dicas para Parar de Usar Cocaína

  1. Busque apoio profissional;
  2. Junte-se a um grupo de apoio ou terapia de grupo;
  3. Evite gatilhos e situações de alto risco;
  4. Desenvolva um plano de recuperação personalizado;
  5. Mantenha-se fisicamente ativo e engajado em hobbies;
  6. Aprenda técnicas de manejo do estresse;
  7. Estabeleça uma rotina saudável de sono;
  8. Compartilhe seus desafios com amigos e familiares confiáveis;
  9. Mantenha um diário de progresso e desafios;
  10. Celebre os marcos de sua jornada de recuperação;

Renan R. Ré, adicto em recuperação e redator do Grupo Braços Abertos

Renan R. Ré

E aí, entendeu por que a cocaína dá depressão? A gente não imagina o quanto somos feitos de processos químicos e o quanto eles implicam em nossas vidas assim como na saúde física e mental.

Além disso, deixa eu me apresentar, meu nome é Renan Rugolo Ré, só redator oficial do Grupo Braços Abertos há quase 4 anos.

Também fui dependente químico por dez anos da minha vida e foi muito difícil, mas eu consegui sair dessa. 

Foram 3 internações em clínicas de recuperação, muita análise, força de vontade e apoio de pessoas que me amaram. 

Inclusive, o Grupo Braços Abertos deu-me a oportunidade de escrever sobre temas sensíveis e, consequentemente, como promover reabilitação eficiente.

Se você está lendo essa matéria e não está conseguindo parar de usar pó ou outras substâncias, entre em contato com a líder em tratamentos. Ligue (11) 93744-7594 e fale com um dos melhores terapeutas do Brasil. Sendo assim, lembre-se:

 

“Cada dia sem drogas é uma vitória pessoal e um passo em direção a uma vida cheia de novas possibilidades.”

AUTOR: Renan Rugolo Ré

AUTOR: Renan Rugolo Ré

Analista de Conteúdo | Desenvolvimento SEO on/off page

Artigos Relacionados

Contato

Últimas Notícias

Cidades

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Rolar para cima