Clínicas de Recuperação para Alcoólatras em Suzano

Clínicas de Recuperação para Alcoólatras em Suzano

O tratamento para a dependência química é algo vagaroso, que exige extrema dedicação e que em muitos casos necessita de internação e é justamente nestes casos que as clínicas de recuperação para Alcoólatras em Suzano atuam. O Grupo Braços abertos vêm através destes artigos orientar as pessoas que necessitam de ajuda para realizar o tratamento de de seus entes queridos na luta contra a doença do comportamento adictivo aliado ao consumo de substâncias psicoativas. Posto isso, viemos informar tanto aos nossos leitores quanto à pessoas que buscam informações pertinentes sobre a dependência química e o alcoolismo.

Porque esses comportamentos?

Quando falamos de comportamentos, falamos de atitudes que envolvem um um determinado indivíduo e a sua maneira de pensar e se portar em referência a algo ou alguém. Desta maneira o conjunto de comportamentos que uma pessoa começa a desenvolver com relação a vida está diretamente ligada à família e a maneira com que o indivíduo estabelece essa relação, como muitos dizem por aí, a “criação”.

Entretanto, existem comportamentos que acabaram por surgir em determinadas fases de dificuldades da vida, que suprem certos desconfortos causados nestes momentos. Esses comportamentos podem ser derivados de mentiras para ajustar situações ou até mesmo concordar com algo e fazer o contrário para evitar brigas e discussões. Mas esse hábito de comportar dessa maneira pode, ao longo do desenvolvimento da personalidade, afeta o indivíduo durante a vida toda.

Esse tipo de comportamento é considerado ou mais propriamente dito por profissionais da saúde, comportamento adictivo. Esse comportamento adictivo – obsessivo e compulsivo por algo – apesar de suprir o desconforto de maneira imediata, pode ao final ou durante um longo período, trazer consequências ruins para o indivíduo. E é nessa questão que nós do Grupo Braços Abertos entramos. Viemos informar à você que este tipo de comportamento é tratável e que nossas instituições em Suzano são as melhores no ramo.

O Álcool e Comportamento Adictivo

Infelizmente quando um indivíduo começa um apego à alguma substância psicoativa que altere sua capacidade de pensar e que tire essa sensação de desconforto é primeiro passo para o casamento perfeito. Utilizar de uma substância de escolha que faça esse serviço esquecer os problemas atuais, mesmo que gere mais problemas futuros terríveis é algo extremamente satisfatório para quem está entrando na questão da dependência química ou do alcoolismo.

O Álcool e as comemorações.

As bebidas alcoólicas já têm relatos de consumo datadas desde os primórdios da civilização humana. Em meados dos anos 7000 a.C, China já eram consumidas bebidas alcoólicas como meio de recompensa por uma batalha árdua por território. Durante a Idade Média, também se comemoravam as vitórias por conquistas regadas a álcool, independentemente se era da cevada “cerveja” ou vinho. Ou seja o álcool sempre esteve presente em nosso cotidiano, ainda mais quando seu uso estava atrelado à questão de recompensa por algo ou comemoração pela corte ou pelo senhor feudal.

Atualmente a questão do consumo de bebidas alcoólicas não é muito diferente de como era antigamente. O problema atual é que as pessoas tem um fácil acesso às bebidas alcoólicas, coisa que antigamente não se tinha. Seja um aniversário, um casamento, um happy hour, ou até mesmo como um presente especial, o álcool está envolvido. Ele está mais que enraizado em nossa civilização e normalmente atrelado à situações positivas.

A devastação pelo Álcool

Apesar de citarmos exemplos de como as bebidas alcoólicas surgiram e o porquê do seu consumo dentro de um contexto de recompensa por algo. A questão do alcoolismo vai muito além disso. Os comportamentos adictivos que citamos no começo de nosso artigo estão atrelados não só ao consumo do álcool mas sim ao seu consumo de maneira abusiva e obsessiva. O que, como consequência acarreta problemas terríveis à indivíduos que são dependentes do álcool.

  1. A Letalidade do Álcool
    A letalidade do álcool é muito maior do que se pensa. A morte por todas as outras drogas somadas não chegam à 4 por cento. Os outros 96% das pessoas adictas que perdem suas vidas são devido ao alcoolismo. Em média 3,3 milhão de pessoas no mundo morrem em decorrência das consequências que o álcool traz para suas vidas. Sejam de doenças motoras como derrames ou até mesmo hepáticas (doenças que atingem o fígado)

  2. A Sintonia entre Recaídas e Álcool
    Devido à sua licitude o álcool, como já dissemos anteriormente, é encontrado em diversos estabelecimentos. E justamente por causa disso é de fácil acesso e um prato cheio para pessoas que estão em recuperação da doença do alcoolismo, voltarem a consumir a bebida novamente. Existem alguns artigos acadêmicos que citam a quantidade de pessoas que, mesmo estando em recuperação, acabam por ceder às tentações do álcool. As recaídas por drogas lícitas é muito mais convencional e de fácil acesso em relação às ilícitas.

Um Abraço Aberto

Em decorrência à essa problemática, o Grupo Braços abertos surgiu para realizar esse procedimento de internação de de acolhimento de pessoas que sofrem de alcoolismo. Posto isso, clínicas de recuperação para alcoólatras em Suzano nasceram com esse pensamento e esse esforço. Estamos de braços abertos para receber todas as pessoas que querem uma nova maneira de viver. Um novo despertar espiritual e uma nova chance para si mesmos.

Nós compreendemos a necessidade de um tratamento efetivo e árduo para que essa realidade seja alterada e estamos juntos para o que der e vier. Se você é da região metropolitana ou do interior, não importa. O que importa é que clínicas de recuperação para alcoólatras em Suzano estão disponíveis 24hrs sete dias por semana na auxilio às pessoas que necessitam de internação e intervenção para sair das garras da adição. Estamos de braços abertos tanto na parte técnica quanto psicológica para auxiliar dependentes do álcool e seus familiares. Acreditamos que cuidar de quem ama é a melhor forma de se resgatar os laços que existem entre ambas as partes e nada mais confortante que um abraço amigável.